terça-feira, 12 de março de 2013

Aprender a Jardinar


Há quem goste bastante de fazer aquilo que vulgarmente se chama de jardinar, ainda que possa não haver plantas nem vasos incluídos nesses pequenos afazeres domésticos, que tanto absorvem e relaxam quem os executa. Normalmente, a parte do bricolage é a favorita dos homens, enquanto a jardinagem encontra maior equilíbrio nas preferências dos dois sexos. O certo é que, tanto o jardim como as pequenas oficinas caseiras constituem espaços privilegiados de refúgio de uma rotina nem sempre fácil. Por outro lado, a realização desses trabalhos ocupa a mente, treina a atenção e pode, inclusive, ser de ajuda no orçamento familiar, quer porque se poupe na mão-de-obra que não se contrata, quer pela hipotética comercialização de peças que se produzam ou de serviços que se aprendam a prestar a outrem. 





Os tempos e formas de cultivo das várias espécies são tão distintos quanto a sua diversidade. Há umas que se dão melhor dentro de casa, outras na varanda ou no exterior. 

Cada uma goza de particularidades características. Por exemplo, as plantas altas e as trepadeiras crescem melhor se, com o auxílio de pauzinhos de madeira ou canas de bambu e fita adesiva verde, se estabilizar o caule. 




A jardinagem representa uma das mais agradáveis e reconfortantes actividades de ocupação dos tempos livres. Partindo de apenas alguns conhecimentos básicos, entusiasmo e dedicação, podem operar-se verdadeiros milagres de transformação de um vulgar pedaço de terreno num autêntico “cantinho das flores”! Todavia, e como «não há bela sem senão», embora se usem luvas e se procure ter precaução, se não se observarem determinados cuidados com as unhas, toda a gente perceberá, pela terra patenteada debaixo destas, o que andámos a fazer. Uma das maneiras de evitar que isso aconteça é arranhar um bocado de sabão. O sabão servirá assim de entrave à entrada da terra e pode ser facilmente removido com uma escovinha. 

Este video tem alguns dos utensílios para utilizar na jardinagem: http://www.youtube.com/watch?v=pX3kY5UrWTI




Nem todas as épocas do ano são propícias a todos os cultivos ou tarefas. O Outono é, por excelência, um período para fazer uma boa limpeza no jardim, eliminar insectos e ervas daninhas que possam ter invadido os canteiros durante o Inverno, e, adicionalmente, preparar o solo para a adubação. Por uma questão de saúde e ambiente, devem seleccionar-se adubos orgânicos. Entre estes encontram-se húmus de minhoca e farinha de osso. Ninguém disse que a jardinagem era uma coisa limpa…!




Ter um jardim em uma residência é uma ótima opção para deixá-la mais valorizada e bonita, mas é preciso ter cuidados especiais com o ambiente para que ele possa ficar sempre confortável, aconchegante e sofisticado. Para isso existem algumas técnicas de jardinagem que garantem a beleza do ambiente, como adequação de plantas corretas, grama sempre cortada, plantas combinando e ornando entre si, etc. Essa é uma tarefa que até mesmo você pode fazer, mas é necessário conhecer muito bem o seu ambiente, o tamanho, o formato e também seus pontos fortes e limitações.


O início de uma boa horta começa na preparação das mudas. Mudas robustas são a garantia do sucesso da futura horta. Hoje temos sementes selecionas, de alta produtividade, com melhoramentos genéticos e que exigem um bom substrato. Além destas, temos também nossas próprias sementes, retiradas dos frutos que colhemos, temos nossas estacas, bulbos, etc. Para que tudo vegete bem, é preciso atentar primeiramente para o substrato.
Sempre que vamos fazer uma horta, nosso pensamento fica voltado aos canteiros, adubações, irrigações, sementeira e outros, mas dificilmente pensamos no substrato das sementeiras. E é ali que vai iniciar a nova vida, por isto teremos que ter um cuidado especial, para garantir que as sementes vão poder desenvolver seu maximo potencial.

O substrato ideal tem algumas característica importantes:

Baixa densidade (ser leve)
Boa aeração
Elevada capacidade de retenção de água
Boa drenagem
Isenção de fitopatógenos
PH neutro (nem alcalino e nem ácido)
Uniformidade
Passível de armazenamento
E finalmente de baixo custo
Conseguir isto tudo num só material é quase impossível. Passarei então uma receitinha muito simples, que uso há muito tempo com sucesso. Caso alguém queira fazer alguma modificação, lembre-se de nunca exceder o esterco em mais de 50%. No caso de cama de aviários, nunca exceder 30%. Cama de perus não exceda os 15%.

Primeiramente peneire, com peneira grossa, um composto feito sem o uso de esterco, com materiais secos e grosseiros, como pequenos galhos e folhas secas.  Normalmente este composto é pobre em nutrientes, com uma relação Carbono/Nitrogênio final próximo de 12/1. A este composto peneirado, adicione 40% de húmus de minhoca (vermicomposto). Para cada 20 litros da mistura, adicione 150 gramas de farinha de osso. Esta é a formula que uso e recomendo.


Pode ver este video no youtube, fácil de perceber como fazer a sua horta: http://www.youtube.com/watch?v=9sn9dthdCfE


Mais difícil que conseguir um belo jardim, é mantê-lo. Por esse motivo, devemos planear bem qual é o nível de manutenção que desejamos para o nosso jardim.
São vários os cuidados de manutenção, dos quais os dois principais são as regas e podas, já que são os cuidados mais frequentes.

Aqui seguem os principais cuidados que você deve ter com o seu jardim:

Regas
as regas devem ser frequentes em seu jardim, devendo-se respeitar a quantidade de água necessária para cada planta. Para que você não tenha que ficar regando de planta a planta, recomendamos que escolha plantas com necessidades de água semelhantes, podendo-se regar sempre todas ao mesmo tempo, o que facilita muito o processo. Por exemplo, seria uma mistura muito ruim um cacto com um bambu, um deles tende a sofrer com excesso ou falta de água. 

Podas
as podas variam de acordo com a planta. Se você não tiver alguém que esteja podando constantemente, como ocorre na maioria dos casos, evite o plantio de plantas de crescimento muito rápido, exigindo muita manutenção com podas. Por exemplo, caso não queira ter muito trabalho para manter o jardim, evite o plantio de pingo d’ouros. O nível de manutenção por podas pode ser consultado na nossa seção “consulta de plantas ornamentais”.

Controle de ervas daninhas
Queira ou não, plantas indesejáveis crescerão espontaneamente no seu jardim, roubando os nutrientes e tampando a luz solar das suas plantas, além de tornar o seu jardim um verdadeiro matagal quando não controladas.
Não há meio melhor de matarmos as plantas daninhas, arrancar manualmente ainda é a melhor opção para jardins. Nem pense em jogar herbicidas, ou outros produtos, já que não devem ser aplicados próximos a residências.
Um cuidado que devemos tomar é evitar ao máximo que as plantas produzam sementes, arranque ou corte as mesmas antes que isso ocorra. Muitas plantas daninhas se reproduzem se forem picadas e deixadas no solo, seque bem as plantas antes de devolve-las na terra. Procure arrancar as plantas, e não corta-las com um enxadão.
Procure regar o jardim logo após arrancar as plantas daninhas.




Insetos e pragas
Calma, se você observar bem o seu jardim, é comum existirem muitos insetos nele. Mas a presença de insetos não significa que eles devam ser mortos, a maioria deles são até mesmo benéficos às plantas. 



A presença de grande variedade de espécies de insetos é indício de que seu jardim está muito bem equilibrado. A infestação de poucas espécies de insetos pode significar um desequilíbrio do ambiente. A ocorrência de insetos que estão prejudicando suas plantas (pragas), indica um desequilíbrio do jardim.
Os insetos devem ser controlados apenas quando estão prejudicando a planta, ou quando representam risco às pessoas ou animais (como aranhas e escorpiões).
Quanto mais fortes e saudáveis estão as plantas, menos suscetíveis a pragas e doenças elas estão. Sendo assim, adube corretamente, regue corretamente, e mantenha a planta no local mais adequado.
Cada espécie é mais suscetível a ataques de insetos que outras. Caso a planta continue sendo atacada mesmo com os melhores cuidados, comece a pensar em substitui-la por outra espécie. Caso queira mesmo assim manter aquela planta, deixe um pouco de fumo de molho em água por algumas horas, coe a solução e aplique sobre as plantas infestadas com um borrifador ou pulverizador, isso costuma ser eficiente nos casos de pulgões.
Descarte a hipótese do uso de inseticidas, pois seu uso próximo a residências é altamente desaconselhável, podendo causar sérios danos ao seu jardim, à sua família e aos seus animais. 

Doenças
Caso ocorram doenças nas suas plantas, verifique se a planta está sendo cuidada da melhor forma para seu bom desenvolvimento. A maioria das doenças de plantas é causada por fungos, que são favorecidos por altas umidades e calor. Por esse motivo, evite regas excessivas ou falta de sol nesses casos.
Descarte a hipótese do uso de fungicidas, ou qualquer outra arma química, já que não são recomendáveis para uso próximo a residências.
Caso as doenças persistam, há fortes indícios de que a planta não é capaz de se adaptar ao seu jardim, isso pode ocorrer por diversos motivos. Por isso, pense seriamente em substituir a espécie por alguma outra que se adapte melhor ao local.




A maioria das pessoas vê o paisagismo como uma questão meramente estética no melhoramento de paisagens, mas isso não é verdade. O paisagismo vai muito além da beleza, há muita funcionalidade.

O paisagismo hoje visa tanto melhorar a estética do ambiente, quanto o conforto, a funcionalidade, a privacidade, e a segurança. Tudo é planejado através de aspectos lógicos e muito interessantes. Mas como as plantas interferem em tudo isso? Nós te explicaremos um pouco dos principais aspectos que devem ser considerados no planejamento de um jardim.




Atenuar a luz solar direta – Em muitos ambientes, a luz solar direta passa a ser um incomodo, aumentando a temperatura do ambiente, impedindo a colocação de móveis próximos às janelas, além de alguns outros problemas. Mas o fechamento da janela causaria escuridão. Para esse caso, o paisagista pode sugerir o plantio de alguma espécie de planta na frente da janela problema. Essa espécie deverá possuir altura e copa, adequados à situação. Além disso, o aspecto estético é essencial, devendo também ser levado em conta na escolha da espécie a ser plantada.

Reduzir a temperatura de ambientes – Parece algo sem comprovação, mas a presença de plantas realmente reduz a temperatura do ambiente no qual ela se encontra, quando em altas temperaturas. Isso se dá devido à evaporação de água pelas folhas, processo no qual é necessária uma quantidade de calor (calor latente), sendo esse fato o responsável pela redução da temperatura local. Em locais excessivamente quentes, o plantio de árvores e arbustos é ideal, além da colocação de gramados, uma vez que quanto mais bem distribuídas as folhas no ambiente, mais eficaz será a regulação da temperatura. Esse processo pode ser facilmente relacionado com o funcionamento dos nebulizadores, e dos climatizadores.

 Dar privacidade – algumas áreas são muito desvalorizadas devido à falta de privacidade do local. Mas isso pode ser em muitos casos, driblado com o plantio de árvores e arbustos em locais estratégicos, tampando a maior parte dos ângulos possíveis de visão. Esse é um recurso muito utilizado, principalmente com arbustos, utilizados como cercas-vivas. A escolha da espécie a ser utilizada depende do ângulo que se pretende bloquear, além da densidade da copa da árvore ou arbusto.

Isolamento acústico – é algo cuja eficácia ainda está em estudo. Mas há de fato uma redução nos níveis sonoros quando o som passa por uma barreira vegetal. O balanço das folhas provocado pelo som, reflete a transformação das ondas sonoras em energia cinética, reduzindo assim os níveis sonoros do ambiente. O que nos resta saber, é o quanto isso é eficaz para diminuir os barulhos urbanos, que são grandes problemas na atualidade.

Melhorar a visão do local – com o plantio de plantas, é possível tampar aspectos negativos da paisagem, como obras abandonadas, lixões, fazendo com que eles não façam mais parte do visual local. Essa prática pode ser utilizada também para ressaltar vistas positivas do local, como uma vista para montanhas, ou para belas construções.






Seguir as instruções das embalagens das sementes que compramos é essencial para um bom jardim ou horta, pois lá estão as informações sobre quando plantar, onde plantar e como plantar.

Entretanto, muitas vezes a linguagem utilizada nelas torna os dados mostrados quase incompreensíveis pelos que desejam plantá-las em casa.

Aqui nós te explicaremos item por item uma embalagem de sementes, mostrando o que cada especificação quer dizer.



  1. Época de plantio: Indica os melhores meses para o plantio da planta em questão na região. A maioria das plantas pode ser plantadas em qualquer outro mês, mas seu rendimento será menor nestes casos. Algumas plantas podem ser semeadas o ano todo com excelentes resultados, como é o caso do nosso exemplo.
  2. Modo de plantio: É na realidade a semeadura. Nesse caso, a embalagem sugere uma prática inadequada ao caso. O mais adequado nesse caso seria o plantio em sementeira (bandejas), para que o transplante seja mais fácil.
  3. Irrigação: indica os cuidados gerais de regas para a cultura.
  4. Germinação: Indica quantos dias, em média, as sementes demoram para emergir após a semeadura.
  5. Canteiro definitivo: dá uma sugestão de como o canteiro deve ser moldado, indicando o melhor espaçamento entre as linhas e entre as plantas, além da altura adequada ao canteiro.

  6. Transplante: Transplante é a transferência da pequena muda, da sementeira para o canteiro.
  7. Observações: Indica o tempo que a planta leva para chegar ao ponte de ser colhida (ciclo), número estimado de sementes por grama de sementes, entre outras indicações.



Outras informações podem ser mostradas na embalagem, como:
  • Desbaste: Consiste em arrancarmos as plantas menos vigorosas, deixando assim o espaçamento desejado.
  • Germinação: Nem todas as sementes que plantamos germinam, isso depende da qualidade e tipo da semente. Por isso, as sementes vendidas indicam qual é a porcentagem aproximada de sementes que germinam corretamente.
  • Validade: é uma data estipulada, a partir da qual as sementes começam a preder suas características originais.
  • Pureza: As sementes que compramos possuem impurezas, como areia, terra, etc. Por isso, a embalagem fornece a porcentagem da massa que é consituída por sementes. 



Fonte das imagens:
http://www.jardimdecorado.com/wp-content/gallery/fotos-de-jardinagem/fotos-de-jardinagem-04.jpg
http://www.montedolaranjal.com/wp-content/uploads/2010/10/trepadeira2_102010.jpg
http://www.coisasdaterra.com/wp-content/uploads/2010/04/aduba%C3%A7%C3%A3o-org%C3%A2nica.jpg
http://www.jardimdecorado.com/wp-content/gallery/fotos-de-jardinagem/fotos-de-jardinagem-02.jpg
http://www.jardineiro.net/jardinagem/horta-como-preparar-substrato-para-mudas.html
https://lh5.googleusercontent.com/-fNsUJXNrfZo/TYlGga8OLrI/AAAAAAAAAdo/K8OJuNdRL0Y/s320/canteiros+de+flores+9.jpg
http://www.cultivando.com.br/jardinagem_e_paisagismo_manutencao_de_jardins.html
http://www.olharmoderno.com/wp-content/uploads/2011/05/plantas-para-jardim-paisagismo.jpg
http://static.assimsefaz.com.br/images/3/75/1091/370160/2/jardins-re_1354583183931.jpg
http://www.cultivando.com.br/termos_tecnicas_entendendo_embalagens_sementes.html

Fonte dos textos:
http://www.ruadireita.com/bricolage-jardim/info/aprenda-a-jardinar/#axzz2NMUU8wmc
http://www.jardimdecorado.com/fotos/fotos-de-jardinagem
http://www.jardineiro.net/jardinagem/horta-como-preparar-substrato-para-mudas.html
http://www.cultivando.com.br/jardinagem_e_paisagismo_manutencao_de_jardins.html
http://www.cultivando.com.br/jardinagem_e_paisagismo_bases_do_paisagismo.html
http://www.cultivando.com.br/termos_tecnicas_entendendo_embalagens_sementes.html

Sem comentários:

Publicar um comentário